Ao utilizar o website da Pedra e Decoração está a concordar com a utilização de Cookies.

O incrível mundo das salamandras a pellets!

Por suporte 23/03/2017 0 Comentários

As salamandras a pellets destacam-se por serem um aparelho bastante prático

É obrigatório que a palavra «pellets» faça parte do dicionário dos mais friorentos que só sobrevivem a um Inverno rigoroso, através de um aquecimento em casa que se distinga por ser moderno, prático, bastante económico e ainda «amigo do ambiente». 

Começando por essa última vantagem, é importante salientar que os pellets são compostos por sobras de madeira, oriundos dos desperdícios da indústria de transformação da madeira (biomassas) e da limpeza das florestas.

Sendo assim, os pellets nunca se encontram associados a qualquer abate de árvore.

Estes materiais, após serem recolhidos, triturados e secos, acabam por se transformar num produto «serrim», que é comprimido a altas pressão e temperatura para que se elimine o máximo de resinas e de humidade.

Como resultado, obtém-se uma matéria 100% natural, com um elevado poder calorífico, estima-se que até três vezes mais do que a lenha normal.

Abordando especificamente as salamandras a pellets, estes são um aparelho com uma vertente prática muito acentuada.

Por exemplo, os equipamentos não têm de recorrer à habitual queima da lenha, o que evita algumas desvantagens, como um odor desagradável tanto na roupa, como nos móveis, ou o fumo em casa.

A acrescentar outra evidência da eficácia dos pellets.

Como esta lenha conta com um teor de humidade muito reduzido e sem qualquer vestígio de resinas, com as salamandras a pellets, existe uma combustão quase total.

Aliás, as cinzas e resíduos que resultam dessa queima localizam-se entre 1% e 3%.

Salamandras a pellets são um interessante elemento decorativo salamandras a pellets

De resto, as salamandras a pellets também não precisam da chaminé tradicional.

Logo, é possível que se instale estes aquecimentos em qualquer espaço da casa.

No entanto, torna-se necessário que haja uma saída para o exterior para que ocorra a libertação do dióxido de carbono, que resulta da queima dos pellets.

Em tempos em que é muitíssimo importante poupar cada um dos nossos cêntimos, deve-se frisar a vertente económica das salamandras a pellets.

Sabia que há uma estimativa de que, por ano, um cliente consome, em média, cerca de 20 sacos de pellets, o que equivale a uns 300 quilos? Para além disso, como os pellets têm um tamanho reduzido, acaba por haver um rendimento mais elevado, recorrendo-se à queima por dosagem, ou seja, os pellets vão caindo um pouco de cada vez, o que até é bastante útil para controlar a temperatura e corrigir o ritmo da queda.

Por outro lado, estas salamandras a pellets ainda podem ser consideradas como umas peças com um visual único, devido às suas linhas sofisticadas e, algumas vezes, até pontuadas com um ou outro toque de inovação.

 

A empresa Pedra e Decoração conta com salamandras a pellets com uma máxima eficiência e que se adequam aos mais diversos ambientes