Ao utilizar o website da Pedra e Decoração está a concordar com a utilização de Cookies.

Não lhe agrada as lareiras? Conheça as salamandras

Por suporte 23/03/2017 0 Comentários

O Inverno chegou. E com ele chegaram aqueles dias em que não apetece nada sair para o frio da rua, principalmente se temos a felicidade de ter ali mesmo à nossa disposição uma fonte de calor privativa.

Este é o caso de quem tem uma lareira ou uma salamandra em casa.

 

Quais são as características de uma salamandra?

Se procura uma solução mais prática e eficiente, considere adquirir uma salamandra.

Uma salamandra é muito semelhante a uma lareira, uma vez que utilizam também lenha e pellets como combustível, contudo apresentam rendimentos superiores por se tratar de um sistema mais controlado de contenção de energia e calor.

Uma vantagem óbvia duma salamandra relativamente às lareiras mais tradicionais tem a ver com a dimensão. Uma salamandra é um equipamento mais compacto, fácil de manusear e instalar e implica também muito menos manutenção e limpeza após cada utilização.

Caso a salamandra funcione a lenha, é necessária uma conduta vertical que funciona como saída de fumos resultantes da queima da madeira para o exterior, tal como é o caso das lareiras. A salamandra alimentada a lenha produz uma quantidade mínima de fumos, pelo que uma saída horizontal através da parede é suficiente para garantir o uso seguro e eficaz destes equipamentos.

Um facto curioso é que alguns modelos de salamandras têm inclusivamente forno incorporado, ideal para algumas experiências de cozinhados enquanto se aproveita o ambiente confortável do calor do fogo.

 

Quais são as características de uma lareira?

Uma lareira clássica é um sistema aberto constituído por duas partes fundamentais: um espaço fabricado de materiais não inflamáveis onde se queima a madeira (esta será a parte visível da lareira), e uma chaminé para saída de fumos e outras partículas nocivas fruto da combustão.

A lareiras podem ter grandes dimensões, e isso implica custos. Quanto maior a lareira, mais cara irá ser também a sua aquisição. Com esta característica prende-se uma outra de extrema relevância: a irradiação de calor é inversamente proporcional à dimensão do equipamento – ou seja: quanto maior a sua lareira, menos calor será produzido.

Uma das grandes desvantagens duma lareiras é o facto de grande parte do calor produzido não ser aproveitado, escapando facilmente para o exterior pela chaminé.

Juntamente, dado tratar-se de um sistema aberto como já referimos, não será a opção de aquecimento mais segura. Existe sempre o risco de algum material saltar e provocar queimaduras ou danos materiais aquando do manuseamento do fogo, e o fumo e o cheiro tradicional que são produzidos acabam por ficar retidos no espaço onde a lareira está localizada.

Ainda assim, para além de estimularem a convivência num espaço acolhedor, as lareiras a lenha e as lareiras a pellets apresentam-se como alternativas de aquecimento económicas e eficazes.

 

Lenha ou pellets: eis a questão de fogo?

A utilização da lenha tem alguns inconvenientes, comparativamente aos pellets, seja numa lareira seja numa salamandra.

A bem da consciência ambiental, ainda que seja possível a aquisição de lenha sem que isso implique o abate ou corte de árvores, esta função será bastante facilitada se se tiver a sorte de habitar no campo, onde facilmente se encontram ramos partidos e restos de madeira que naturalmente caíram ao chão. Caso se viva na cidade, para além do custo de aquisição da lenha, ocorre também uma outra situação: torna-se necessário um espaço para armazenamento da lenha.

Os pellets são formados a partir de produtos que de outra forma dificilmente seriam aproveitados, como é o caso das aparas de madeira e da serradura, pelo que os pellets são uma alternativa ecológica e barata. Como se vendem em sacos, acabam por ser mais fáceis de armazenar que a lenha. Por outro lado, também são mais eficientes tendo maior duração que a lenha aquando da combustão. Em termos de produção de calor, acabam por ter valores idênticos de energia produzida.

 

Como percebeu, não há razões para hesitar.

Escolha o seu modelo de lareira ou salamandra preferido, seja criativo e desfrute de um Inverno bem acolhedor!

 

 

thorma