Por defeito, este site usa cookies. Estes cookies destinam-se a otimizar a sua experiência de navegação neste site. Saiba mais

Recuperadores Chama, maximizam calor para toda a casa

Por suporte 23/03/2017 0 Comentários

O inverno de 2013 foi considerado, na Europa, um dos mais frios dos últimos 100 anos, tendo chegado inclusivamente, como noticiou o jornal Público no final do ano passado, a provocar mortes em portugal - onde a maioria das casas não parece estar preparada para receber condições climatéricas tão adversas, permitindo que as baixas temperaturas afetem grande parte da população, sobretudo aquela que se encontra já na terceira idade.

Justifica-se assim a procura crescente a métodos que permitam manter a temperatura amena nas residências, com equipamentos que, ao contrário das lareiras, sejam práticos e higiénicos e que não sejam de alto investimento nem criem um ambiente artificial, como acontece com o ar condicionado.

A melhor solução, acaba assim, por passar pelos recuperadores Chama, que garantem um aquecimento da casa sem um aumento exponencial de custos.

Como funcionam os recuperadores de calor? 

Os recuperadores de calor são um equipamento que permite aquecer o ambiente de uma forma eficaz e rápida, através da queima de lenha e de outros resíduos florestais.

A difusão do calor é feita através de condutas de ar ou de aquecimento central a água, consoante os espaços, sendo que estes equipamentos apresentam uma série de vantagens em relação aos tradicionais sistemas de aquecimento:

  • não envolvem normalmente um investimento tão elevado
  • não implicam um tão grande aumento de custos no consumo de eletricidade
  • são ecológicos
  • não acumulam excesso de sujidade
  • maximizam o rendimento da queima da madeira (destacando-se o facto de, numa lareira convecional, se consumir em média 12 kg de lenha para um rendimento de 10%, enquanto os recuperadores de calor, para um rendimento de 30%, vão apenas necessitar de 4 kg).

recuperadores chamaPara além disso, é importante referir que, numa lareira aberta, apenas se consegue recuperar, em média, 20% da potência calorífica da lenha.

No entanto, com os recuperadores de calor o rendimento chega a atingir os 80%.

É ainda de referir o impacto estético que a maioria dos recuperadores de calor atualmente apresenta.

Fabricados com uma porta em vidro vitrocerâmico, de guilhotina ou com abertura lateral, as peças são fabricadas em ferro fundido ou em chapa de aço, apresentando um design atrativo e perfeitamente enquadrável em qualquer tipo de decoração.

Tecnicamente, nos recuperadores de calor, o calor é emitido através do vidro e pela estrutura envolvente, que pode ainda possuir tubagem que distribui o calor para outras zonas contíguas, garantindo assim o máxima cobertura da área em que o equipamento se encontre instalado.

Que tipos de recuperadores de calor existem?

A escolha de um recuperador de calor deve ser sempre feita com base nas condições de cada espaço e nas expetativas do comprador, em termos de aquecimento, praticidade e valor de investimento.

Existem recuperadores de calor elétricos, a lenha, a pellets, a bioetanol e a gás, apresentando cada um deles vantagens e especificidades muito próprias.

Destes, destacam-se os recuperadores a pellets como os mais rentáveis (são os mais baratos depois da energia eólica e solar) e os a gás ou elétricos, que podem trazer um aumento nos consumos mensais de gás ou eletricidade.

Para além disso, os recuperadores de calor são comercializados nos seus modelos tradicionais, mas também nas versões de dupla face, de salamandras e de caldeiras, sempre com uma imagem bastante moderna e apelativa, dando resposta às mais elevadas exigências estéticas dos consumidores.

É ainda importante considerar que os recuperadores de calor rentabilizam os equipamentos já existentes em cada espaço:

  • complementam os painéis solares, que funcionam essencialmente bem durante o dia e no verão
  • maximizam as caldeiras de aquecimento central a gasóleo, que, através de um termoestato, se desligam de forma automática, trazendo uma poupança de combustível durante as horas de maior consumo;
  • não utilizando dióxido de carbono, vão ainda rentabilizar o gás ou outras formas de aquecimento existentes na residência.

Assim, para evitar as temperaturas frias do próximo inverno que se aproxima, contacte um especialista em recuperadores Chama